Está na hora de voar em bando.

Sabe aquele ditado popular “uma andorinha só não faz verão”?  Ele também se aplica ao empreendedorismo e ao mundo do empresário, você acredita?

Ser empreendedor, não é uma tarefa nada fácil! Os desafios são gigantes, ainda mais neste cenário de pandemia, em que mundo precisa se reinventar o tempo todo.

Para se conseguir trabalhar dessa forma dinâmica que o mercado exige e oferecer sempre mais para os clientes, o melhor caminho é buscar ajuda. E, para isso, um método eficiente pode ser se unir a uma associação ou a um grupo de empresários.

Integrar grupos como esses, certamente, favorecerá o seu negócio. Esses grupos disponibilizam serviços específicos de forma mais acessível (e muitas vezes mais barata) para as empresas que deles fazem parte, ajudando-as a crescer e a gerar mais lucros.

Assim, seu interesse e dos integrantes do grupo vão determinar até onde a iniciativa pode ir, por exemplo, realizar compras coletivas diminuindo seus custos, buscar cursos de capacitação…. Isso tudo da forma bem prática. Mas, vai muito além! Estar com pessoas que enfrentam os mesmos desafios que você é enriquecedor e vai ajudá-lo a encontrar aquela ideia, ou aquela oportunidade que sua empresa tanto precisa para alçar voos mais altos. O Network, muitas vezes, é sim indispensável para o sucesso dos empreendimentos, quer lugar melhor para ampliar do que em um grupo em que todos estão munidos do mesmo objetivo que você?

O objetivo em participar de uma associação de empresas é oferecer benefícios aos envolvidos, podendo disponibilizar alguns serviços ou produtos mais acessíveis para a empresa, melhorando as condições para que ela cresça. Seja comprando produtos dessas empresas e auxiliando-as na distribuição, seja priorizando os associados nas compras e sempre que possível propiciar chances para os associados realizarem ajustes em seus orçamentos, para que os recursos permaneçam em nosso comércio local.

Nesse tipo de agrupamento, as questões políticas partidárias devem ser evitadas. O cenário pandêmico em que vivemos é uma excelente ocasião para amadurecer essa avaliação subjetiva e superficial… Nas entidades de classe, o mais importante são seus associados e é deles o direito e o dever de indicar os envolvimentos políticos do grupo, sempre priorizando as necessidades dos participantes.

Estamos no fechamento das negociações salariais de 2021/2022, e as necessidades são muitas, os funcionários necessitam de reajuste para sobreviverem e as empresa venderem mais para também sobreviverem, não é uma ação fácil de conciliar todos os interesses. Assim, o pensamento tem que ser da maioria, pensar nos pequenos, com reajuste que atenda a todos e aproveitar o momento para reconhecer os funcionários que se mostram valorosos e merecem ganhos melhores pela dedicação e pelos resultados obtidos e de eliminar os colaboradores que não se dedicam ou não buscam novos conhecimentos. As oportunidades estão abertas e agora não é hora para ficar esperando, temos que assumir nossa parte na sobrevivência.

 A pandemia de COVID-19 deixou bem claro, que é impossível viver sozinho. Por mais que queiramos acreditar que não, sempre precisamos uns dos outros, da nossa família, dos nossos amigos e de pessoas que estejam na mesma sintonia que a nossa, nos apoiando e nos ajudando a crescer. O mesmo vale para os nossos negócios…

 Afinal, como mencionei lá no começo, “uma andorinha só não faz verão”, mas juntos, chegamos mais longe do que qualquer um sozinho… E você, já se uniu a quem pode ajudá-lo a alcançar seus sonhos? Boa Semana!

Compartilhe!