Vamos falar de negócios!

Enquanto estamos preocupados com a nossa cidade, não podemos descuidar do nosso negócio, tem uma frase que ouvi e repito, se não encontra um produto em alguma loja da cidade, não mude de cidade, mude de loja, mas continue comprando em Mogi Mirim.

E quero destacar que o comércio precisa da volta do freguês, que é aquele que compra ou usa os serviços, habitualmente, do comércio.

Antigamente, falava-se que o freguês era aquele cliente antigo de confiança, que comprava fiado e pagava, posteriormente, podia ser por mês ou até mesmo por ano.

Na síntese, freguês é aquele que confia no comerciante, gosta do atendimento, gosta dos produtos, gosta das lojas, gosta de tudo que é feito. Esse é aquele que merece toda atenção e podemos afirmar que terá sempre razão.

É importante mencionar, que nossos antepassados comerciantes já usavam muitas das ferramentas de marketing que existem hoje, eles sabiam a marca que os clientes compravam, sabiam o que gostavam de comer e de beber e, ainda, sabiam as datas aproximadas dos dias que viriam realizar suas compras. Hoje, há essas e muitas outras informações de forma fácil, rápidas e muita mais assertivas e são esquecidas de serem usadas ou não recebem a devida importância. Mas, ações como essas transformam clientes em fregueses.

Às vezes, nos esquecemos até de cuidar da embalagem de nossos produtos. O poder da embalagem é muito maior do que imaginamos.  Uma boa embalagem vende tanto quanto o próprio produto. O apelo visual é parte fundamental no sucesso da venda, principalmente, em um mercado onde o consumidor é exposto a uma infinidade de produtos. O mais atrativo é o que gera mais empatia, é o que será adquirido.

Foi feito um teste com uma empresa que vendia pipoca nos EUA, o resultado comprovou que um mesmo produto, com a mesma quantidade de pipoca, em duas embalagens diferentes, pelo simples fato do consumidor perceber uma diferenciação significativa, no tipo de embalagem, fez o produto ser vendido com o valor 3 vezes mais caro.

Observando esse detalhe e lembrando o desejo de ter fregueses, como está a identidade visual do comércio?  Ela é que deve guiar toda a atenção da empresa, o logotipo, as suas cores são os detalhes que fazem a empresa e seu produto serem lembrados pelo freguês.

Na empresa, o proprietário é quem dita a regra e o processo que devem sempre ser revisados. Um ponto importante é que não adianta enviar os funcionários para realizarem curso, se quando ele voltar não ter liberdade para implantar o aprendido. Muitos processos novos levam um tempo para se consolidar, não desista, persista. O mundo está dinâmico, os processos ajudam a repetir o que dá certo e a expurgar o que não funciona.

Então, se o comerciante deseja mais vendas em sua empresa, deve dar a liberdade de implantação e ficar acompanhando tudo. Meu Pai já dizia que o Boi engorda aos olhos do dono, é claro que não precisa realizar todo processo, o ideal é conhecer, opinar, mantendo a visão de empreendedor.

Boa semana e fique atento às novidades!

Compartilhe!