Para você, como o ano de 2022 começou?

Para você, como o ano de 2022 começou? Para ser sincero, por aqui, foi mais cheio de desafios do que eu esperava… Enquanto estava ansioso por retomar à vida “normal”, me deparei com inúmeras notícias nada animadoras, novas variantes da Covid-19, influenza e um novo aumento nos casos da doença, que assusta.

Assim, pessoalmente, posso dizer que as coisas não saíram exatamente como o esperado… E, se olhar por um panorama profissional, também não!

Toda essa situação acaba gerando novos transtornos para todos, inclusive para o comércio, para os serviços, para a gastronomia e acaba prejudicando os empresários dos setores e seus funcionários. É normal que as pessoas se sintam inseguras em frequentar o comércio e outros estabelecimentos, neste crescente de casos da Covid-19. E, não é para menos… É preciso ser responsável e manter o distanciamento social. Contudo, como ficam os lojistas e os funcionários do comércio que necessitam das vendas para manterem seus trabalhos e pagarem as contas?

Isso sem contar o estresse e a pressão psicológica que esses trabalhadores estão submetidos. Afinal, eles estão, dia a dia, em contato com inúmeras pessoas, colocando a própria saúde em risco e se expondo à contaminação.

Fato é que a situação não está fácil para nenhum dos lados! Parece que se está, dia a dia, “enxugando gelo”.

Nessa situação toda, o comércio da cidade pede socorro! Ele está enfrentando a Covid-19, as dificuldades econômicas que afetam a população que vê o poder de compra cair pressionado por uma inflação, que supera os 10%, os funcionários inseguros, os empresários desalentados, a concorrência desleal frente às empresas digitais… E tudo isso, SOZINHO.

Houve uma reunião na Sede do Sincomercio, com a ACIMM e com a participação de muitas empresas comerciais e foi nítido ouvir o pedido de socorro, sem falar que todos observaram que existe um pequeno hiato entre os que pensam e os que sofrem com o umbigo no balcão. Um lado quer ação, outro ainda se apega a detalhes e a pensamento de outrora, o princípio básico  é criar o movimento de pessoas e de recursos financeiros. Toda ação de melhora do comércio dever ter foco na movimentação, atrair as pessoas para visitarem e entrarem nas lojas e não ficarem apenas na contemplação. Na reunião, ficou claro que o comércio deseja se mexer, melhorar, idealizar novidades e prosperar. Para tanto, ficou definido uma atividade mensal, no segundo sábado de cada mês, que terá o nome “SÁBADO MUSICAL”, sempre organizado com atividades novas, com foco na criança, no adolescente e no adulto – nessa ordem, a ideia é aproveitar as boas iniciativas, mas complementar com novas e elaborar ações que sejam desenvolvidas em diversos pontos, como o movimento, na música. Também foi lembrado o retorno do “CORETO VIVO”, nos outros três sábados do mês.

Agora, apenas isso não basta, não se deve esquecer de que na outra ponta é indispensável que o poder público olhe para o setor e busque alternativas para ajudá-lo! De alguma forma, incentivar a população a consumir na cidade, fiscalizar os cuidados para controlar essas doenças que assombram, promover maior segurança, conceder incentivos fiscais para desafogar os empresários e manter o emprego dos mogimirianos.

Agora temos comissões de comerciantes da nossa cidade, prontos e ansiosos para discutir com a Prefeitura, alternativas para ajudar o comércio e todos os setores de nossa cidade a enfrentar este momento delicado.

Boa semana, bons negócios e fiquem atento as oportunidades!

Compartilhe!