Como matar uma árvore, qualquer árvore

Nesta semana, postei nas redes sociais a foto de uma árvore localizada, na Av. da Saudade, o número não vou colocar aqui, mas a sua localização é bem próxima ao centro. Agora, o que tinha de diferente essa árvore? Ela tinha um cinturão cortado, circundando todo caule, na sua parte mais inferior.

Nos comentários da postagem, percebi que muitas pessoas não sabem o significado dessa atitude e resolvi esclarecer com detalhes, nesta coluna. O caule tem função singela, é pelo caule que circulam e sobem as seivas que sustentam galhos, folhas, frutos, flores – para resumir o caule é a veia da planta, sim, fazendo comparação com o nosso corpo, é pelo caule que chegam os nutrientes que mantêm a vida da planta.

Quando alguém aplica uma ação como descrita acima, está providenciando a interrupção do fornecimento de água, de sais minerais e de todas as demais substâncias que sustentam o vegetal vivo. Na prática, a planta morre por inanição. É como sonegar água e comida a um cão, a um gato, a um bebê – todos seres dependentes do funcionamento perfeito de um processo.

Não sei quem realizou essa terrível ação, é completamente injusto, provocar sofrimento a um ser vivo, seja uma planta, um animal ou um ser humano, matar uma árvore dessa maneira equivale a matar qualquer outro ser humano, usando tortura.

A árvore localizada na Av. da Saudade ainda está de pé, mas as suas folhas já indicam que é um caso terminal.  E quem será responsabilizado? Por onde anda nosso Condema para coibir, ou para disciplinar essas ações contra a nossa natureza.

Para quem não sabe, o Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente – CONDEMA – é um órgão colegiado, deliberativo e consultivo, vinculado à Secretaria de Meio Ambiente e Agricultura. O Conselho é formado por 14 membros, sendo 7 representantes do Poder Público e 7 da Sociedade Civil.

Como esses diretores deixam isso acontecer? Gostaria de saber quais ações serão tomadas, não apenas para essa árvore, mas para as muitas outras que estamos presenciando serem retiradas da natureza, apenas porque deixam folhas caírem. Desculpe os contrários, folhas no chão não é sujeira!

Boa semana!

Compartilhe!