A tradição do presépio diz que o Menino Jesus vem para o Natal

O Natal está ai, um dos símbolos mais fortes dessa época, nas residências dos católicos, é o presépio, com as figuras do Menino Jesus, Maria, José, os Reis Magos, os pastores e os animais.

Cada uma monta seu presépio da forma que deseja, mas o importante e manter a mensagem trazida por ele, cada personagem tem um significado, cada posição tem um motivo e todas juntas narram uma história linda contada pela primeira vez há mais de 800 anos por São Francisco de Assis.

Independente da religião, o presépio tem a intenção de mostrar a união de uma família pelo bem de todos.

O termo presépio vem do latim ‘praesepe’ e significa manjedoura, estábulo, ou seja, o lugar em que ficam os animais. Lugar em que Maria e José foram buscar abrigo.

A tradição do presépio se iniciou com São Francisco de Assis. A cena do nascimento de Jesus foi montada como um presépio vivo por São Francisco, que possuía paixão muito grande pelo Cristo. Em 1223, Francisco, querendo celebrar com a comunidade de um modo diferente, pediu a um amigo chamado João para preparar tudo, deu um tempo para que ele conseguisse o boi, o burro, o menino Jesus e o feno para compor a cena. Francisco celebrou a Missa, realizando uma bonita homilia sobre o nascimento de Jesus, conta-se que o menino que representava Jesus acordou, quando Francisco se aproximou.

Pela tradição o presépio deve ser montado no 1º domingo do Advento (este ano caiu no dia 29 de novembro) e desmontado no dia 6 de janeiro.

As figuras do presépio foram sendo incorporadas e ganhando significados, durante os anos, ainda hoje novos elementos são inclusos, ficando cada um livre para incluir e dar o seu modo de ilustrar o presépio.

Agora, alguns princípios básicos precisam ser mantidos, para que a tradição perdure e a sua história seja contada de forma acertada.

Maria, a mãe do Menino Jesus, a escolhida para ser a mãe do Salvador. É aquela que disse ‘sim’ à vontade de Deus, por ela a humanidade recebeu Jesus. Deve estar sempre ao lado esquerdo da manjedoura, bem próxima do Menino Jesus

São José, o pai adotivo de Jesus, o homem que o assumiu como filho, que lhe deu um nome, um lar, que ensinou a Jesus uma profissão e a experiência de ser filho de um pai terreno, deve estar ao lado direito da manjedoura.

Os animais representam a natureza a serviço do homem e de Deus. No nascimento de Jesus forneceram calor ao local onde Jesus nasceu e simbolizam a simplicidade. Por isso devem também ficar próximos da manjedoura.

Os 3 Reis Magos, Belchior, Gaspar e Baltazar eram homens da Ciência. Conheciam Astronomia, Medicina e Matemática. Eles representam a Ciência que vai até o Salvador e o reconhecem como Deus. Cada um dos Reis possui em suas mãos os presentes: ouro, incenso e mirra, que oferecem ao Menino Jesus. O ouro significa a realeza, um presente dado aos reis. O incenso significa a divindade, um presente dado aos sacerdotes. Sua fumaça simboliza as orações que sobem ao céu. Oferecendo esse presente a Jesus, os magos reconhecem que o Menino é divino. E a mirra simboliza o sofrimento e a eternidade. É um presente profético: anuncia que Jesus vai sofrer, mas também que seu reinado será eterno. Devem estar posicionados em posição de caminho, em direção ao Menino Jesus, representando a humildade e o reconhecimento.

E os pastores? Depois de Maria e José, os pastores foram os primeiros a saberem do nascimento do Salvador. Os pastores também simbolizam a humildade, pois naquele tempo a profissão de pastor era uma das menos reconhecidas. Sua posição é definida a gosto, pois são figuras livres.

Em um ponto privilegiado coloca-se o anjo, que representa o céu, que celebra o nascimento de Jesus. É o mensageiro de Deus, comunicador da Boa Notícia. O anjo do presépio, normalmente, segura uma faixa com a frase: “Gloria in excelsis Deo”, que significa: “Glória a Deus nas alturas”.

Tão importante como todas as demais peças é a representação da Estrela, que simboliza a luz de Deus e orientou os Reis Magos a localização de Jesus.

O detalhe final fica por conta do Menino Jesus, o Filho de Deus que se fez homem, para dar sua vida pela humanidade. Precisa ter seu lugar reservado no presépio e ser colocado apenas na noite do Natal. Sua falta na manjedoura até o dia do nascimento passa o simbolismo de que algo bom vai chegar e ao chegar traz paz, amor e felicidades aos corações dos homens.

Outras personagens podem ser inseridas e construídas com os mais diversos tipos de materiais, mas manter as posições, para que essa simbologia seja conservada, não deixando morrer essa tradição e, ainda, passar para as novas gerações o significado e o aprendizado que a cena remete.

Quando São Francisco montou o presépio pela primeira vez, ele queria que as pessoas sentissem essa emoção, de ter diante de si a cena do nascimento de Jesus e todos os seus valores e os ensinamentos que ela traduz.

Monte seu presépio em casa, seja sozinho, ou com a família. Mande fotos, grave um vídeo, poste em sua rede social com o #PresepioFamilia, ajude a divulgar esse amor na família e sua criatividade.

Que muitos presépios sejam postados nas redes sociais e que cada um mostre sua criatividade e sua religiosidade e, assim, formar vários tipos de presépio para compartilhar.

Boa Semana.

Compartilhe!